Projecto pioneiro com Estabelecimento Prisional traz SEC a Olhão

Projecto pioneiro traz Secretário de Estado das Florestas a Olhão

O Secretário de Estado das Florestas, Miguel Freitas, esteve esta manhã em Olhão, a propósito de um projecto pioneiro que está a ocupar sete reclusos do Estabelecimento Prisional na limpeza e desmatação da estrada que liga Moncarapacho ao Cerro de S. Miguel.

Esta acção, que vem a decorrer desde 9 de Julho de 2018 e se prolonga até 31 de Agosto, surge no âmbito de um protocolo mais abrangente celebrado entre o município e o estabelecimento prisional, que já levou, em Maio, reclusos a procederem a uma acção de limpeza na Ilha da Armona.

Desta feita, e conforme estabelecido no Plano de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Olhão, encontra-se a ser intervencionada uma das zonas mais críticas do concelho em termos de risco de fogo florestal, conforme explicou o comandante dos Bombeiros Municipais, Luís Gomes: “de acordo com o nosso plano, este era o troço que tinha de ser intervencionado em 2018, o que estamos a fazer com a colaboração deste grupo de reclusos”.

Uma verdadeira experiência de aprendizagem para os sete prisioneiros que compõem esta brigada em regime aberto, e que passaram, num primeiro momento, por uma formação inicial de manuseamento de maquinaria e regras de segurança no trabalho, ministrada pelos próprios bombeiros municipais.

Uma experiência bastante positiva para o presidente da autarquia, António Miguel Pina, para quem “este projecto não só ajuda a resolver o problema da desmatação das zonas mais problemáticas do concelho, mas constitui, também, um investimento na nossa comunidade, uma vez que contribui para a reintegração de sucesso destes reclusos, muitos deles olhanenses”.

O secretário de Estado das Florestas considera este “ensaio” que está a decorrer em Olhão um exemplo a replicar em todo o País.

Para Miguel Freitas, “esta é uma iniciativa com uma carga simbólica muito importante e que derruba barreiras”, não só devido à intervenção dos reclusos, mas porque “coloca os bombeiros a fazerem a prevenção dos fogos florestais, e não apenas a intervirem quando chega a hora do combate”.

Uma possibilidade de alargamento a todo o território confirmada pelo Director-Geral dos Serviços Prisionais, , que deseja ver estes reclusos integrados uma vez deixem a prisão, e adianta: “àqueles que assim desejem, será dada a possibilidade de prosseguirem a carreira de sapadores florestais”.

Em Olhão, e uma vez terminada esta experiência-piloto, serão analisados os resultados e estudada a hipótese de extensão do projecto a outros locais do concelho.

Comentários
PUB
PUB

Veja também

50 anos do 25 de Abril: Olhão celebra com participação política

Olhão Celebra os 50 Anos do 25 de Abril com Participação de Todos os Partidos

Em Olhão, no Algarve, as comemorações do 50.º aniversário do 25 de Abril foram marcadas …