PUB

Nova coordenação do BE Olhão quer imprimir maior dinâmica no concelho

Francisco Louçã e Cecília Honório apostam em mobilização regional para Greve Geral

Francisco Louçã e Cecília Honório estiveram presentes no plenário concelhio e no jantar-convívio do Bloco de Esquerda de Olhão no passado fim de semana. A presença dos deputados foi uma forma de assinalar a mudança que o BE Olhão está a viver agora com uma nova comissão coordenadora concelhias liderada por Alcindo Norte e Marcos Quitério.

Em declarações ao JA, Marcos Quitério explicou que a reunião superou as expectativas iniciais e que a ordem de trabalhos se focou no programa de atividades do BE Olhão e na situação nacional.

Entre as prioridades definidas, Marcos Quitério destacou a vontade de captar jovens olhanenses “com o futuro praticamente arruinado” e trazê-los para o BE para lutar pelo concelho, pela região e pelo país. Ainda em termos concelhios, deve-se realizar nos próximos dias uma campanha de recolha de assinaturas – em parceria com um movimento cívico do concelho – que visam a diminuição das tarifas de água e esgotos do concelho que Marcos Quitério sublinhou serem das mais caras do país e um apelo aos proprietários de empresas da restauração para que participem na Greve Geral que está marcada para 24 de novembro como forma de manifestar o desagrado e preocupação pelo aumento do IVA no setor.

A deputada eleita pelo distrito de Faro, Cecília Honório, adiantou ao JA que este foi mais um momento para promover o debate político sobre a situação nacional e regional. Frisando que a crise nacional é sentida com particular intensidade no Algarve, Cecília Honório diz que é tempo de mobilizar a população para a Greve Geral e explicar que esta é uma oportunidade importante para que o povo faça ouvir a sua voz face a políticas insustentáveis que estão a ser implementadas e preparadas.

“O Algarve tem todas as condições para responder positivamente a esta greve”, comentou recordando que entre os motivos de preocupação a região conta com o aumento do IVA no setor turístico, a introdução de portagens na Via do Infante e uma taxa de desemprego alarmante.

Por JA/SCS

In http://www.jornaldoalgarve.pt

Comentários
PUB

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB