Concluído estudo prévio do projecto de requalificação do salva-vidas da Fuseta

Encontra-se concluído o Estudo Prévio de Arquitectura do Projecto de Reabilitação e Musealização do Edifício do Instituto de Socorros a Náufragos da Fuseta.

O documento, essencial para o processo, resulta de uma primeira avaliação minuciosa do estado de conservação do edifício mais icónico da vila, durante o qual, através do recurso às mais modernas tecnologias, se fez o diagnóstico e a avaliação do seu estado de conservação, quer estrutural, quer construtivo.

O estudo prévio, apresentado pelos arquitectos ao presidente da autarquia, António Miguel Pina, e ao vereador das Obras Públicas, Ricardo Calé, foi, agora, enviado para as entidades que detêm a tutela do salva-vidas, para que a sua posse seja, definitivamente, transferida para a autarquia, que, só então, poderá avançar com a intervenção.

A requalificação do edifício histórico prevê a sua reparação estrutural, reabilitação arquitectónica e funcional e posterior transformação daquele espaço num polo museológico que, sob a alçada do Museu Municipal de Olhão, se constituirá como o Centro Interpretativo da Paisagem e do Património.

A Estação de Socorros a Náufragos da Fuseta foi construída em pleno Estado Novo, na segunda metade do século XX. Em 1996, as chaves foram entregues pelo Instituto de Socorros a Náufragos à direcção-Geral do Património do Estado, tendo estado fechado desde então.

A singularidade da sua implementação no interior da ria Formosa e o desenho de vanguarda modernista, a par da estima que a população da Fuseta e de todo o concelho votam ao edifício mais marcante da paisagem da vila, fazem com que a autarquia tenha posto mãos à obra de reabilitação do salva-vidas, e dar-lhe vida nova enquanto ponto de encontro de cultura, património, etnografia e memória.

Comentários
PUB
PUB

Veja também

Inauguração do Relvado no Estádio José Arcanjo Marca Nova Era para o Olhanense

Mais de 3 mil entusiastas do futebol testemunharam um momento histórico no Estádio José Arcanjo, …

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *