PUB

Auditório Municipal cheio para assistir à estreia de “Cavalos de Guerra”

Estreou com casa cheia, no Sábado passado, o filme Cavalos de Guerra.

O autarca olhanense, António Miguel Pina, salientou a importância de financiar esta obra que retrata o preocupante decréscimo de cavalos-marinhos na Ria Formosa, alvo da pesca ilegal e feroz motivada por interesses económicos.

Apesar de já ter mergulhado um pouco por todo o Mundo, João Rodrigues, o realizador de Cavalos de Guerra, diz que é na Ria Formosa que se sente “em casa” e fez da ameaça de extinção dos cavalos-marinhos naquele santuário natural a sua causa. António Miguel Pina recebeu de bom grado a ideia de o Município patrocinar este filme e o resultado de uma boa aposta ficou demonstrado neste dia de estreia.

A proteção da natureza é um tema cada vez mais na ordem do dia. Ainda bem! E nós estamos a fazer a nossa parte”, garantiu o autarca de Olhão, anfitrião das centenas de pessoas que, entre entidades oficiais e anónimos, não quiseram perder a primeira exibição de Cavalos de Guerra.

A estreia do documentário contou com as presenças dos secretários de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, João Catarino, e do Mar, José Apolinário, que elogiaram o facto de o Município de Olhão ter financiado um filme com um tema tão actual. “Obrigado pelo trabalho que está a fazer em nome da biodiversidade na Ria Formosa”, agradeceu João Catarino, dirigindo-se a António Miguel Pina. “Abordar este património valioso é uma forma diferente de chegar a muitas pessoas”, referiu ainda o governante com o pelouro da Conservação da Natureza.

Já para o olhanense José Apolinário, secretário de Estado das Pescas que também intervém no documentário, António Miguel Pina “soube agarrar um projeto de grande importância para a preservação da Ria Formosa”. Referindo-se ao realizador João Rodrigues, disse que “é um amante desta causa, um interveniente com capacidade para influenciar em defesa da nossa Ria Formosa”.

Perante uma plateia entusiasmada com a estreia de um documentário que mostra as fragilidades da Ria Formosa, o presidente da Câmara Municipal de Olhão, António Miguel Pina, exortou para que “nos tornemos todos protectores do cavalo-marinho”, algo em que o biólogo marinho e fotojornalista João Rodrigues também acredita.

No Auditório Municipal de Olhão, o realizador mostrou o resultado dos muitos dias de mergulho nas águas algarvias e disse-se “feliz por ver tantas pessoas que querem a Ria Formosa com o brilho que já teve. A minha missão de vida vai ser proteger a Ria Formosa”. João Rodrigues reconhece que “esta aposta do Município de Olhão foi um tiro no escuro”, mas que agora é uma importante ferramenta de divulgação do que se passa na Ria Formosa, através da exibição de imagens inéditas que prometem alertar consciências. No total, são 29 minutos que resumem a coabitação entre o cavalo-marinho e quem usufrui, vive e trabalha de e na Ria Formosa. Cavalos de Guerra reúne depoimentos de vários desses intervenientes, ao mesmo tempo que conta a história da evolução deste ecossistema ao longo dos tempos.

Produzido pela Chimera Visuals para o Município de Olhão, Cavalos de Guerra segue agora o seu percurso e vai dar-se a conhecer nas escolas do concelho e um pouco por toda a região e país, assim como em vários festivais de cinema.

Comentários
PUB

Veja também

“Planeta Oceano” alerta alunos olhanenses para importância de proteger os mares

Todas as escolas do concelho de Olhão recebem, até à próxima Sexta-feira, 7 de Fevereiro …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB